fbpx

Receba nossas Novidades!

Fique por dentro das novidades do mundo contábil.

Empreendedorismo

Descubra as respostas para principais dúvidas dos empreendedores e empresários

10 de setembro de 2019
Descubra as respostas para principais dúvidas dos empreendedores e empresários
Tempo de leitura: 12 minutos

A rotina de trabalho dos empresários envolve desafios diários relacionados à gestão, finanças, sociedades, tributação, legislação, além de demandas vinculadas ao planejamento organizacional. Todos esses temas compõem o rol das principais dúvidas dos empreendedores na administração, gerenciamento e processo de tomada de decisões dos seus negócios.

Pensando nisso, desenvolvemos este artigo com o propósito de tirar as dúvidas mais comuns dos empresários, empreendedores e gestores. Ao longo dele, você vai ter acesso a dados que formam um guia completo que pode ser consultado sempre que surgir alguma dúvida dentro da sua empresa. Acompanhe!

Gestão empresarial

A gestão para empreendedores consiste no processo por meio do qual são aplicadas técnicas de administração, gestão, avaliação e tomada de decisões dentro de uma organização. Todas as empresas têm um ou mais responsáveis pela gestão. São esses profissionais que realizam ações específicas para ajudar na manutenção das atividades e na segurança das operações.

Quando se fala em gestão empresarial, há inúmeras dúvidas. Explicamos a seguir as principais questões. Confira!

O planejamento estratégico é realmente necessário para a minha empresa?

Sim! O planejamento estratégico empresarial é uma ferramenta que oferece suporte tanto no processo de estruturação da empresa quanto na manutenção das atividades. Entretanto, para agregar valor ao negócio, é importante que ele seja bem elaborado.

Como elaborar um plano de negócios para a minha empresa?

Primeiro, é recomendável que o seu planejamento estratégico e o plano de negócios sejam elaborados com o suporte de consultores empresariais. Em linhas gerais, o documento vai trazer o objetivo e as ideias da empresa, a descrição das metas, o cronograma de prazos, a estratégia de marketing, o planejamento da estrutura jurídica e tributária, além de um estudo de viabilidade econômica do negócio.

Dessa forma, é importante fazer um estudo minucioso do mercado, incluindo a análise do mercado, do público, da competitividade e a observação das tendências. Além disso, vale destacar que todas as metas traçadas devem estar acompanhadas dos prazos para cumprimento e recursos — financeiros e de pessoal — que serão necessários ao longo de todo o processo.

Preciso fazer uma pesquisa de mercado?

Essa é outra dúvida muito comum e que merece a atenção de todo empresário, seja ele iniciante ou mais experiente. A pesquisa de mercado é um estudo por meio do qual o seu negócio coleta e interpreta informações importantes sobre o mercado, consumidores, concorrência etc.

Por isso, ela oferece suporte para que a empresa analise tanto os seus consumidores como a própria concorrência. Além de ajudar nas ações de marketing, essa pesquisa traz benefícios significativos para o processo de gestão e tomada de decisões do seu negócio.

Como fazer a gestão de metas do meu negócio?

É possível aplicar metodologias e ferramentas específicas que ajudam no acompanhamento das metas estabelecidas pela empresa. Sem dúvidas, elas são a melhor forma de controlar os resultados, ajudando a verificar a necessidade de eventuais mudanças.

Há varias ferramentas (softwares, aplicativos, etc) de gerenciamento de tarefas disponíveis no mercado, inclusive, algumas possuem versões gratuitas, como, por exemplo, o Trello e o Asana.

Gestão de pessoas

A administração de recursos humanos, ou simplesmente gestão de pessoas, diz respeito às técnicas, políticas e métodos por meio dos quais se administra o comportamento dos funcionários, bem como a relação entre colaboradores e gestores de uma organização. Os propósitos da gestão são potencializar o capital humano e promover o crescimento do negócio.

Uma empresa que não valoriza os seus colaboradores pode ter problemas organizacionais graves, com a ocorrência de conflitos e alto nível de turnover.

Como motivar os meus colaboradores?

A ideia é que o gestor de recursos humanos invista em ações que foquem no bem-estar dos funcionários. Isso deve começar pelo respeito ao direito de descanso, pausa para alimentação e lazer. É importante ter cuidado com as horas extras, evitando que os colaboradores excedam os períodos de trabalho determinados pela legislação trabalhista.

Outra forma de motivar é oferecer benefícios e estimular o desenvolvimento pessoal e profissional do seu time.

Vale a pena oferecer plano de saúde para os meus colaboradores?

Sem dúvidas. A oferta de benefícios como plano de saúde, plano odontológico, seguro de vida e vale-alimentação são excelentes maneiras de aumentar o índice de satisfação e captação de talentos para a sua empresa.

Finanças empresariais

A gestão das finanças contribui para a análise do desempenho da empresa, a identificação de eventuais falhas e o planejamento de ações visando a correta administração e aplicação dos recursos financeiros. Por isso, trata-se de uma das áreas mais complexas e que demandam mais dedicação por parte dos empresários, gestores e demais profissionais envolvidos.

Os empresários têm dúvidas que vão desde a busca por investimentos externos até a gestão do fluxo de caixa. Apresentamos a seguir a principais perguntas e informações que vão ajudar na organização das finanças da sua empresa.

Como organizar o fluxo de caixa da minha empresa?

O fluxo de caixa é muito importante para a gestão financeira do seu negócio. Por isso, você deve contar com o apoio de profissionais capacitados e investir em um controle rigoroso de todas as movimentações financeiras que acontecem dentro da sua empresa.

Para organizá-lo, você pode delimitar o período do fluxo de caixa, separar e identificar receitas e despesas, fazer o registro completo de todas as contas a pagar e a receber, categorizar e classificar os lucros e gastos, e criar um centro de custos.

Qual é a diferença entre custos fixos e variáveis?

A diferença entre custos fixos e variáveis costuma confundir muitos empresários, especialmente aqueles que não têm experiência com a gestão financeira de uma empresa.

De modo simples e objetivo, os custos fixos são aqueles que não mudam de acordo com o faturamento da empresa, por exemplo, aluguel, contas de luz e internet, salários, encargos trabalhistas, entre outros.

Os custos variáveis, por sua vez, são todos aqueles que oscilam conforme as vendas. Podemos citar como exemplos os impostos, as comissões pagas aos vendedores e os custos com compra de matéria-prima.

O pró-labore é um custo fixo ou variável?

Os contadores recomendam que o pró-labore seja considerado um custo fixo a fim de evitar problemas no controle e gestão do fluxo de caixa.

Quais são os profissionais que podem ajudar na gestão financeira da empresa?

Todas as decisões da sua empresa passam pelo setor financeiro. Por isso, é importante que você conte com a assessoria de profissionais com conhecimento técnico, que tenham condições de avaliar relatórios financeiros, balanços, balancetes e demais dados atrelados às contas da empresa.

Os contadores ocupam um papel importante na estratégia da empresa. Por isso, o empresário deve buscar os serviços de contadores especializados nas áreas contábil, fiscal e tributária.

Sociedades empresárias

A legislação brasileira determina algumas regras e critérios relacionados à abertura de sociedades empresárias. Entenda a seguir quais são as principais questões que devem ser observadas pelo empreendedor ao abrir um novo negócio.

É preciso contratar um contador para abrir uma empresa?

Em primeiro lugar, o artigo 1.179 do Código Civil determina que o empresário (leia-se o empresário individual) e a sociedade empresária são obrigados a seguir um sistema de contabilidade, com base na escrituração uniforme de seus livros, em correspondência com a documentação respectiva, e a levantar anualmente o balanço patrimonial e o de resultado econômico.

Por sua vez, somente o contador pode elaborar o balanço patrimonial e de resultado econômico.

Além disso, no Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, o artigo 21 do Anexo I da Parte II da Resolução SEFAZ nº 720/2014 prevê que no pedido de inscrição estadual da empresa junto a Secretaria de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro a empresa deverá obrigatoriamente informar o seu contabilista legalmente habilitado.

Lembrando que as empresas do setor do comercio devem obter a inscrição municipal.

Além dessas exigências, é importante ter em mente que as empresas têm diversas obrigações (tributárias, trabalhistas, previdenciárias, entre outras). Por esse motivo, o conhecimento técnico de um contador é essencial para garantir o cumprimento da legislação.

Como fazer um contrato social?

O contrato social é um documento muito importante para o empreendimento. Nele, você deve incluir informações como o nome da empresa, o endereço da sede da empresa, as atividades que serão realizadas pela empresa (objeto), a identificação e qualificação dos sócios e o valor capital social, entre outros dados relevantes.

O contador poderá auxiliá-lo em todo o planejamento e preenchimento de informações que vão constar no seu contrato social.

O que é MEI?

O Microempreendedor Individual, também conhecido como MEI, é um empresário individual enquadrado como MEI e que tenha receita bruta anual de até R$ 81 mil. O MEI é indicado para quem é autônomo e/ou deseja trabalhar sozinho. O MEI só pode contratar um funcionário.

Qual é a diferença entre Microempresa e Empresa de Pequeno Porte?

A Microempresa (ME) pode ter um faturamento anual de até R$ 360 mil. As Empresas de Pequeno Porte (EPP), por sua vez, podem ter um lucro de R$ 360 mil até R$ 4,8 milhões. Se a sua empresa for ME e tiver um faturamento superior ao limite legal, ela deverá alterar o enquadramento para EPP.

O que é uma Sociedade Limitada?

A Sociedade Limitada (Ltda) é aquela na qual a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas. Ou seja, há separação do patrimônio da pessoa física/sócio (CPF) e da pessoa jurídica/empresa (CNPJ), portanto, a responsabilidade patrimonial do sócio pelas dívidas da empresa é limitada à quotas que o mesmo tem da empresa.

O documento de abertura (ato constitutivo) da sociedade Ltda é o Contrato Social e o Capital Social é dividido em quotas.

O que é uma Sociedade Anônima?

Assim como na sociedade Ltda, na sociedade anônima (SA) também há a separação patrimonial.Dentre as diferenças entre uma sociedade Ltda e uma sociedade anônima estão as seguintes:O documento de abertura da sociedade anônima é o Estatuto Social;

  • O Capital Social da SA é dividido em ações;O sócio é chamado de acionista;
  • A SA pode ser fechada hipótese na qual se assemelha mais a Ltda ou pode ser aberta, ou seja, pode vender ações na bolsa de valores;
  • As deliberações dos acionistas são realizadas por meio de assembleias;
  • A SA não pode optar pelo regime tributário denominado Simples Nacional;
  • Como há mais burocracia em relação a elaboração de documentos e publicações, é um tipo societário indicado mais para empresas de grande porte.

Como escolher o tipo societário da minha empresa?

A análise do tipo societário é feita durante o planejamento e elaboração do ato constitutio da empresa. A legislação oferece diferentes alternativas. A primeira delas é o empresário individual, que também pode ser enquadrado como MEI. É importante verificar se a atividade exercida e o planejamento se enquadram nas regras.

A segunda opção para empreender sozinho é a EIRELI (Empresário Individual de Responsabilidade Limitada). Nesse modelo, a empresa também só pode ser constituída por uma pessoa e a principal característica é que os bens do empresário, como pessoa física, não se confundem com os bens da empresa. Além disso, é necessário um investimento inicial de, no mínimo, 100 vezes o salário mínimo nacional.

A terceira opção é a Sociedade Limitada, um tipo de empresa simples e menos burocrático, no qual é possível ter sócios e a sua responsabilidade também é limitada. Hoje, representa um dos modelos mais escolhidos por quem está começando.

Tanto a Ltda quanto a EIRELI poderão se enquadrar como ME ou EPP e optar pelo Simples Nacional.

A respeito das Sociedades Anônimas, o empreendedor deve ter em mente que elas são sociedades de capitais, nas quais a captação de recursos é muito mais fácil. Entretanto, a estrutura é muito mais complexa, já que são regidas por uma legislação própria.

Quanto custa abrir uma empresa?

Os custos e obrigações vão depender do porte da empresa, do Estado e do Município onde for sediada a empresa.

No caso do Estado, a Junta Comercial de cada Estado possui uma tabela de preços para registro do ato constitutivo da empresa. Na Junta comercial do Estado do Rio de Janeiro – JUCERJA, por exemplo, para uma Ltda enquadrada como ME ou EPP é cobrada o valor de R$ 404,00 + R$ 21,00 de DARF.

Além dos custos com o registro da empresa na junta comercial, há os custos com o alvará da empresa. No município do rio de Janeiro, por exemplo, para o início da atividade é paga uma Taxa de Licença para Estabelecimento no valor de R$ 858,12.

Se atividade a ser desenvolvida pela empresa possuir Conselho, a empresa deverá ser registrada no respectivo conselho o qual geralmente cobra uma taxa para este registro. Por exemplo, se a atividade da empresa for Engenharia, a empresa deverá ser registrada junto ao Conselho Regional de Engenharia do Estado onde for sediada a empresa.

Para ter valores mais precisos de acordo com as características do seu negócio, é necessário consultar um contador, que poderá avaliar os seus objetivos e informar os custos para abrir a sua empresa.

Regras e regimes de tributação

O Regime Tributário consiste em uma escolha que determinará a legislação aplicável às regras de recolhimento de tributos na empresa. A definição do regime influenciará a variação das alíquotas de tributo e a sua base de cálculo, especificamente no que diz respeito ao Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e à Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Quais são os tipos de regime de tributação?

Existem três tipos principais de regime de tributação: o Simples Nacional, o Lucro Presumido e o Lucro Real.

O Simples Nacional é uma escolha comum entre empresas que estão iniciando no mercado. A grande vantagem é a apuração simplificada das obrigações. Mas é importante lembrar que existe um limite de lucro anual de R$ 4,8 milhões.

No caso do regime do Lucro Presumido, a apuração dos tributos vai ser calculada sobre uma base de cálculo presumida pela legislação, ou seja, há uma presunção de quanto a empresa faturou. Para escolher esse regime, é preciso ter um faturamento anual de até R$ 78 milhões.

Por fim, o regime do Lucro Real é aquele que apura os impostos devidos de acordo com o lucro real da empresa. Em muitos casos, é uma opção vantajosa, por isso, antes de escolher, é importante avaliar as regras, restrições e benefícios de cada regime. Lembre-se de que, muitas vezes, o que é desvantajoso para uma empresa pode ser vantajoso para o seu negócio.

Devo fazer um planejamento tributário na minha empresa?

O planejamento, de uma forma geral, é uma das etapas mais importantes na gestão de uma empresa. Dentro do planejamento tributário, busca-se reduzir os tributos incidentes sobre a organização. Por isso, todos os empresários devem aplicar essa ferramenta em seus negócios, seja como forma de revisão tributária ou ainda como ferramenta para quem está começando.

Como o planejamento tributário pode ser feito?

Para fazê-lo, é necessário analisar a realidade da empresa e as regras aplicáveis a ela no que concerne à tributação. Também é preciso avaliar o faturamento, a margem de lucro, a previsão de despesas operacionais e o gasto do negócio com colaboradores. Toda a análise pode ser feita por um contador com experiência no assunto.

Legislação empresarial

Além de legislação empresarial e tributária, é preciso considerar outras normas aplicáveis às pessoas jurídicas, como é o caso da lei de registro de marcas e patentes. Confira a seguir o que os empresários mais se perguntam em relação à questão legal dos seus negócios.

Onde e como devo registrar a minha empresa?

Para legalizar a sua empresa, é preciso proceder com o registro dela na Junta Comercial do seu estado ou no Cartório de Registro de Pessoa Jurídica.

Esse processo deve ser feito mediante a apresentação de documentos como o contrato social (no caso de sociedades limitadas), CPF, RG, comprovante de residência, entre outros. É indispensável ser assessorado por um contador durante o processo de abertura do negócio.

Como obter o CNPJ da empresa?

Depois de realizar o registro da sua empresa na Junta Comercial, você deve solicitar o CNPJ no Portal da Receita Federal. Mas lembre-se de que a sua empresa ainda não está apta a funcionar.

Após cumprir essas duas etapas, você precisa obter a licença na prefeitura da sua cidade. Com o alvará de funcionamento em mãos, o seu empreendimento estará totalmente legalizado e pronto para começar a exercer as suas atividades.

O que é registro de marca e como ele deve ser feito?

A marca é a identidade do seu negócio. É ela que diferencia o seu produto ou serviço daquele oferecido pela concorrência. Além do nome, o registro de marca protege a sua identidade visual de eventuais cópias de terceiros. Desse modo, a proteção da marca significa também a proteção do patrimônio, especialmente se a empresa crescer.

O registro da marca deve ser feito no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Você pode fazer o processo sozinho ou buscar o apoio de profissionais especializados.

O primeiro passo consiste em verificar a existência de registros iguais ao seu. A pesquisa pode ser feita diretamente no site do INPI ou pela empresa que você contratou para realizar o serviço. Depois de concluir essa etapa, é necessário determinar em que classe de atividade econômica será feito o registro da sua marca.

O último passo trata-se do registro da sua marca. O registro final, caso não ocorra nenhum impedimento, será publicado na Revista de Propriedade Industrial e deverá ser renovado a cada dez anos.

Como saber qual é o momento de abrir uma empresa?

Muitos empresários passam anos na informalidade, acreditando que assim estão se mantendo livres do pagamento de impostos. Entretanto, o grande problema desse tipo de situação é que, sem a formalização, o empreendimento fica restrito e não tem a oportunidade de crescer.

Além disso, a informalidade é considerada uma forma de sonegar os impostos, uma vez que o empreendedor não declara a sua renda e não emite notas fiscais, o que pode ser punido administrativa e criminalmente.

Em vista disso, a dica é que você formalize a sua empresa e inicie as suas atividades apenas quando toda a documentação estiver em dia.

Quais são as vantagens da legalização e formalização da empresa?

Com a empresa legalizada, você tem um CNPJ, pode emitir notas fiscais, está apto a abrir contas em bancos para pessoa jurídica, consegue solicitar empréstimos especiais para pessoa jurídica, tem condições de captar investimentos, pode prestar os seus serviços e/ou fornecer os seus produtos para empresas de grande porte e, até mesmo, órgãos públicos, participando de licitações.

Quais são os procedimentos para realizar o registro de um empregado?

A contratação de um empregado para a sua empresa deve seguir rigorosamente a legislação. Por isso, você deverá solicitar ao empregado a sua Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), Certificado Militar, Certidão de Casamento, Certidão de Nascimento, Declaração de dependentes para fins de Imposto de Renda na fonte, atestado médico admissional, Carteira de Identidade, Cadastro de Pessoa Física (CPF), Cartão do PIS, comprovante de endereço e de escolaridade.

Com toda a documentação em mãos, é necessário anotar na CTPS os dados da admissão, remuneração e condições especiais, quando houver, além de incluir a admissão no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e efetuar o cadastro no PIS, caso não exista.

É recomendável que todo o processo burocrático relacionado à admissão de novos colaboradores seja acompanhado pelo seu contador. Ele poderá avaliar quais são os processos a serem seguidos e os cuidados que devem ser tomados a fim de garantir o cumprimento da legislação trabalhista.

Como você pode ver ao longo deste artigo, abrir o próprio negócio e gerir uma empresa não é uma atividade simples. Além de demandar conhecimento de diversas áreas, ela exige do empregador comprometimento, dedicação e a busca por apoio técnico de profissionais qualificados, como é o caso dos contadores.

Se você é empresário, aposte em uma consultoria contábil com experiência de mercado e que tenha condições de oferecer todo o suporte necessário para as demandas rotineiras da sua empresa, desde a parte contábil até a fiscal, trabalhista, de planejamento e legalização.

Em caso de dúvidas sobre tributação, legislação e obrigações acessórias, procure o auxílio do seu contador, que poderá orientá-lo a respeito dos procedimentos mais adequados de acordo com a realidade e o contexto no qual a sua empresa está inserida. Além disso, anualmente, invista em uma análise mais aprofundada que permita avaliar a necessidade de mudança do regime de tributação e alterações no planejamento tributário da sua empresa.

Este artigo com as principais dúvidas dos empreendedores foi útil? Então aproveite para assinar a nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos sobre contabilidade, jurídico, fiscal, trabalhista, planejamento e legalização de empresas.

5 erros contábeisPowered by Rock Convert

Veja Outras postagens