Receba nossas Novidades!

Fique por dentro das novidades do mundo contábil.

Empreendedorismo

5 relatórios gerenciais que toda empresa precisa ter

20 de julho de 2018
5 relatórios gerenciais que toda empresa precisa ter

Os relatórios gerenciais são muito importantes para a gestão de um negócio, já que é por meio deles que os administradores de uma empresa podem basear suas decisões. O mais importante é que eles sejam elaborados a partir de fontes seguras, contenham dados relevantes e que façam a diferença  — ao considerar o rumo que se deseja tomar.

Por esse motivo, destacamos a seguir 4 tipos de relatórios que sua empresa pode montar de acordo com os objetivos propostos e porque eles devem fazer parte da rotina do seu negócio. Acompanhe!

1. Financeiro

Se há um relatório que pode ser considerado como o alicerce de todos os outros, é o que informa sobre os resultados financeiros. Afinal, não há como gerir um negócio se não existe controle absoluto sobre o orçamento.

Para montar um relatório que seja útil para a tomada de decisões e que não exponha a empresa a riscos, antes de mais nada você precisará exercer o controle diário sobre seus custos e receitas.

Portanto, um relatório financeiro consistente e que ajude seu empreendimento a prosperar deve ser construído com base em informações sobre o fluxo de caixa e de capital de giro que estejam bem alinhadas.

2. Vendas

Intimamente ligado à parte financeira do negócio, o setor de vendas é o responsável por gerar novas receitas e manter a empresa em funcionamento. Dada sua relevância, as vendas precisam ser monitoradas de perto com resultados avaliados periodicamente e conforme métricas de vendas confiáveis.

Em um relatório de vendas, você poderá incluir dados sobre:

  • oportunidades geradas;
  • vendas efetivas e ticket médio, ou seja, das oportunidades criadas, quantas realmente se concretizaram em negócios e qual o impacto em relação ao ticket médio;
  • oportunidades desperdiçadas;
  • taxa de sucesso, ou o quanto seus vendedores convertem as oportunidades geradas.

3. Satisfação

Medir o quanto seu público se sente satisfeito é outro indicador extremamente importante para que suas decisões, de fato, levem a empresa a crescer. Estamos em tempos dos consumidores omnichannel, que estão habituados a utilizar múltiplos canais para se comunicar ou para fazer suas compras.

Nesse aspecto, todo contato é uma oportunidade para conhecer melhor as pessoas que se interessam por seus produtos ou serviços. Assim, não se deve perder a chance de pedir gentilmente que as pessoas respondam perguntas que sirvam para avaliar o quanto elas foram bem atendidas ou tiveram suas expectativas correspondidas.

Não menos importante, o índice de satisfação também deve ser orientado para medir o quanto seus colaboradores estão se sentindo em relação às suas funções. Para isso, elabore perguntas que possam formar um quadro estatístico que sirva para apontar possíveis falhas e pontos fortes. Você pode transpor as práticas que estão dando certo de uma maneira que compense eventuais deficiências.

4. Operacional

Para que o seu negócio seja lucrativo, é primordial analisar cada uma das atividades dentro da empresa, através de um gerenciamento minucioso das metas e os objetivos empresariais almejados de maneira clara e objetiva.

Somente com as metas e os objetivos previamente desenhados e medidos você conseguirá desenvolver o plano de ação a ser seguido. Ao passo que, quanto maior for o controle gerencial sobre o dia a dia, melhor tende a ser o resultado ao final do processo.

Aqui, as palavras de ordem são planejar e medir, pois nenhuma empresa cresce sem uma gestão profissional e pautada em números.

São esses números que nortearão os próximos passos da empresa, seja na aplicação de treinamentos internos, premiação dos melhores colaboradores e até mesmo de eventuais mudanças no seu time.

Sem número sua gerência será baseada em achismos, subjetividades e interesses interpessoais, que de uma ou outra maneira leva o negócios as ruínas.

5. Sustentabilidade

Não é mais possível ignorar que o conceito de “economia verde” veio para ficar. A adoção de políticas empresariais sustentáveis não é positiva apenas para os ecossistemas, já que os lucros também aumentam quando sua empresa mantém uma postura e práticas engajadas ecologicamente.

Há negócios que conseguem até mesmo abrir novas frentes apenas com os resultados que sistemas de economia de água e de resíduos geram. É o caso das empresas que, em resposta ao elevado consumo de água, exploram a instalação de centrais de tratamento de efluentes e até de água do mar.

Por que não fazer o mesmo e medir mensalmente quanto sua empresa tem destinado à reciclagem ou economizou em papéis e copos plásticos? Pense nas práticas sustentáveis como parte indissociável de seus relatórios gerenciais e comprove o quanto pode ser lucrativo evitar o lançamento de lixo na natureza.

E aí, gostou do conteúdo do post? Foi útil para ajudar na gestão do seu negócio? Para receber outros conteúdos como esse em sua caixa de entrada, assine agora mesmo a nossa newsletter!

Veja Outras postagens